Através do Estadão, a Agência de Informações do Estado, em 5 de setembro do ano 2000, vinha divulgada uma mensagem com o seguinte titulo: - VATICANO DIZ QUE RELIGIÃO CATOLICA É A ÚNICA.

 

De Paris, na França: – “Dominus Jesus” é o nome do documento publicado pelo Vaticano e assinado pelo cardeal Josef Ratzinger, do que quero responder e comentar, porque já sei que irá trazer conseqüências para os que lhe vão atrás.

Ratzinger não chegou agora á cúpula da igreja, pois ele é homem de confiança de João Paulo II e prefeito dessa congregação há vinte anos. Após dois anos durante os quais João Paulo II multiplicou os seus “arrependimentos” diante ao mundo, pelas perseguições aos judeus, pela inquisição e todos os erros que provocaram tanta miséria e atraso, aos negros, pelas Cruzadas, pelas colonizações etc., Ratzinger não reconhece esses erros da igreja e diz, “que só existe uma religião, que é a religião católica”. Subentendendo que para essa razão tudo lhe seria lícito fazer.

 

Daí continua nessa confusão das palavras, dizendo que, “só o cristianismo merece ser qualificado de fé”. Colocando a igreja, mais uma vez como fosse a sua herdeira, diz que as outras religiões não são, pois o hinduísmo, budismo, paganismo, são conhecimentos. Diz que Buda é uma grande figura, mas uma figura histórica e entre outras figuras, Sócrates também é. E novamente tenta se afirmar dizendo: - “Somente Cristo é o mediador entre Deus e os homens, o Salvador universal”. 

 

Ratzinger relembra nisso ainda, que a “igreja é única”. As outras igrejas, referindo-se as evangélicas, não mereceriam esse título porque “a sucessão apostólica” é só da igreja de Roma, pelo fato único de os bispos serem nomeados pelo papa, assim como os apóstolos o foram pelo Cristo, somente assim haveria a sua legalidade.

 

O tom desse cardeal mantém-se imperioso como sempre, e os porta-vozes da igreja tiveram o cuidado de difundir essa mensagem aos quatro ventos com todos os meios de comunicação. Nisso a igreja se reveste da sua imagem mais perigosa, pois não vamos esquecer os capitais que essa congregação acumulou em todas as incursões em que os padres participaram no mundo. Esse senhor é mais um dos que se acham poderosos por fazer parte dessa rica congregação, pois a igreja católica se enriqueceu e ficou forte queimando gente, armando numa forma criminosa os incautos a combater as sua batalhas, tornou-se bem pior dos bárbaros que invadiram a Europa atrás de Atila, e a igreja não prejudicou somente a Europa, onde nasceu, mas o mundo todo, onde tentou se expandir até hoje.

Até agora, ainda fatura muitos milhões de dólares por dia (se diz 500) só na venda das indulgências. Nas missas, enterros, casamentos, comunhões e batismos, todos pagam as suas prestações de serviços, que - sem considerar os dízimos, as participações nos recolhimentos da caridade pública (que recolhe), os alugueis das suas propriedades espalhadas no mundo, as rendas das ações de participações nas maiores empresas da terra, entre fábricas, bancos e financiarias, representa uma formidável ameaça econômica para qualquer país.

 

E sem considerar as propriedades imobiliárias e terras que a igreja ainda possui no mundo, o Vaticano acumula o mais valioso e o maior acervo artístico de todos os tempos, por conseqüência o Vaticano não é um país, mas têm uma representação como se fosse, entre na Organização das Nações Unidas.

 

Mas como igreja foi revogada, pois se o papa João Paulo II é um homem sacudito pelo sofrimento e os tornados do seu cotidiano, da história e da política, é por causa daquilo que escolheu para si e para os que o seguirão, porque disso já foi enformado em tempo, pois sabia que deveria sofrer na carne os desafios as disposições espirituais. Esse aviso lhe foi dado e faz parte da mensagem de Fátima dirigida ao clero recebida em 13 de Maio de 1917, que ele conhece certamente bem que em parte diz: - "As Organizações eclesiásticas terão que transformar-se radicalmente e tomar a verdade como base. Se tal não acontecer, então a morte reinará no meio da igreja, e os cristãos amaldiçoarão o clero. Terá chegado o fim dos papas, seu trono cairá, e os últimos deles gemerão sob dores corpóreas, enquanto suas almas, como que açuladas, vagarão a esmo, mas não encontrarão uma saída". Ratzinger tem os olhos fixos na continuação da fé dos dogmas, mas essa história já terminou quando foi nomeado um outro papa no Brasil.

 

Pelo intermédio dos apóstolos Pedro e Paulo e conforme diziam várias profecias, aconteceu “fora da igreja”, em 15 de Junho de 1995 em São José dos Campos do estado de São Paulo – Brasil. Em seguida, em 30 de Junho 1995, numa outra revelação, João Paulo II foi definido simplesmente e definitivamente, como “o homem do capital e da fortuna, que está carregando multidões pela superstição, misticismo e dúvida”.

 

Isto está contido na "Revelação" e nesta foi dito ainda: – “Luigi, qual filho que vem do céu, que está a direita do Pai, que reencarna hoje para limpar os pecados dos homens, este será o Cristo e este nasceu contigo”. A partir daí foi assumida essa bandeira, e foram escritos livros que resumem o trabalho do novo Cristo, na história da sua vida, num novo evangelho e nos Ponteiros Direcionados ao Céu. E completando "a correção do abuso que o homem cometeu sobre a religião, na Itália, de onde nasceu o catolicismo e a sua bíblia com tudo baseado numa ampla pesquisa histórica", nascia a Litáurica que já veio a ser declarada Religião Única e Universal pelo planeta Terra e mais seis sistemas astrais..... A matéria toda foi colocada na Internet, onde um áudio informal acompanhando a página, transmitia ao vivo a nova palavra, no cumprimento dessa tarefa recebida e cumprindo a disposição das mensagens de La Sallette, Lourdes e Fátima.

 

Evidentemente o comunicado do Vaticano diz que não está disposto em reconhecer tudo isso, mas o mesmo catolicismo deve ser considerado como mais uma crença, até os tempos em que o mundo irá esclarecer-se tornando-se Litáurico.

E ainda, existem algumas falhas na base da sua retórica, que ele não quis considerar.

 

A primeira é que a igreja, não é a herdeira do cristianismo, pois por motivos políticos, repudiou formalmente e definitivamente o conceito reencarnatório já no  Concilio de Constantinopla no ano 533, destacando-se assim do cristianismo que era reencarnacionista, pois um dos pais da igreja foi também São Clemente de Alexandria, que posteriormente foi cassado pela igreja, por ser reencarnacionista. Como também foram Plotino e Orígenes e os primitivos cristãos, enfim, enquanto culturalmente em quase todos os lugares, a reencarnação voltava a ser endossada como uma proposta filosófica coerente, a truculência assassina da Inquisição veio destacar ainda mais a igreja do cristianismo para fortalecer o trono papal que bem mais tarde decaiu novamente, para continuar na inobservância dos próprios conceitos do cristianismo.

 

Em referência ao " Dominus Jesus". Até na Quinta feira da páscoa do ano 2000, Jesus esteve na Orbe desse planeta, acompanhando a instauração da Litáurica. Depois deixou-a definitivamente convocado numa nova missão numa longínqua galáxia. E a partir daí em definitivo passou a valer a Litáurica como Religião Única e Universal para sete planetas nos quais a Terra vem a ser incluída numa única Regência submetida a todo o contexto de um outro Cristo que se chama LUIGI. (ler o livro Litáurico os Ponteiros Dirigidos ao Céu III)

E como João Paulo II, todo os que lhe irão atrás, se depõem contra a disposição divina e assim se encontrarão firmando o seu termo no sepulcro. E esta é uma definição bem pobre para pessoas que no mundo se acham tão certas e poderosas, mas não passam de um desafio venal, pois apesar das suas riquezas, o reino da igreja na Terra já terminou.